notebook em mesa de reunião acessando o site da frente corretora de câmbio

Corretora lança remessa ao exterior sem taxa

Por Nathália Larghi | De São Paulo

A Frente Corretora de Câmbio, empresa criada pelos ex- XP Investimentos Carlos Brown e Ricardo Baraçal, junto com Daniela Marchiori, ex-agente autônoma ligada à plataforma, lança neste mês um produto de remessas de dinheiro para o exterior sem tarifas.

Os planos da companhia para 2019 incluem também o uso da tecnologia blockchain em seu modelo de  negócios, a fim de facilitar e tornar as transações cambiais mais seguras.

A companhia nasceu como correspondente cambial – cuja função é negociar moedas de bancos e corretoras parceiras – e em julho do ano passado se tornou uma corretora. O modelo de negócios é semelhante ao popularizado pela XP: tudo é feito on-line e os escritórios de correspondentes são a principal forma de trazer clientes – assim como os agentes  atuam na corretora de investimentos.

Atualmente, são mais de 70 correspondentes parceiros. Mas mesmo que essa distribuição através de escritórios de terceiros faça a empresa ganhar capilaridade, os sócios da companhia consideram o mercado “muito concentrado” e, por isso, investem no lançamento de diferentes produtos e soluções.

“Hoje, nossos maiores concorrente são os bancos; 97% do mercado de câmbio está nas mãos deles. E esse é um mercado que movimenta US$ 1,7 trilhão mensalmente”, afirma Baraçal.

A remessa de valores para o exterior foi uma das estratégias encontradas pela corretora para atrair os clientes dos bancos. O fato de não haver tarifas no novo serviço não significa que ele será oferecido gratuitamente. Segundo o executivo, será cobrado um spread na cotação da moeda.

Ainda assim, Baraçal garante que o custo será muito menor do que se o cliente enviar dinheiro para fora do país através dos bancos, onde são cobradas taxas.

Segundo Brown, outro sócio da empreitada, o que permite que a companhia ofereça o serviço cobrando apenas o spread é o volume que será transacionado.

“De grosso modo, como nós mandaremos uma remessa grande, de vários clientes, para o exterior, esse custo sai muito mais barato do que o cliente enviar sozinho, por conta própria”, diz. Baraçal completa,  porém, que existem ferramentas tecnológicas que permitem que isso seja feito.

“Existe toda uma tecnologia por trás para isso ganhar escala. Não é só colocar todo o dinheiro em um bolo só e mandar. O destino lá fora tem que ser o que o cliente colocou. Então, tem que ter um hub para poder distribuir e o dinheiro chegar na quantia e na instituição financeira certa”, explica o executivo. Assim como as negociações cambiais, o negócio de remessas para o exterior online também será distribuído pelos correspondentes, que lidam diretamente com o cliente. “Será tudo feito por uma ‘white label’. Você entra no site do correspondente, verá a logo e a marca dele, e fará o negócio totalmente online. O layout é dele, mas quem permite que aconteça, somos nós”, afirma Baraçal.

Serviço semelhante já tem sido oferecido por outras fintechs. Alguns exemplos são a europeia TransferWise e a brasileira Remessa Online. “Nossa ideia é democratizar, tem dois players fazendo isso e só para eles, através do site só deles. Nós estamos democratizando, vamos levar para mais gente através também dos correspondentes”, afirma Brown. Desde sua criação, a Frente Corretora já atendeu mais de 25 mil clientes e, atualmente, conta com uma média de 3 mil novos usuários a cada mês.

Fonte: https://www.valor.com.br/financas/6059825/corretora-lanca-remessa-ao-exterior-sem-taxa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *