E a semana começa na defensiva: lá fora o clima é de cautela diante das disputas comerciais EUA e China e também de olho na crise italiana.

Neste final de semana o presidente Donald Trump disse que ainda não enxerga um acordo com o país asiático, e que a reunião bilateral prevista para setembro pode não se realizar. E o banco Goldman Sachs, não espera a conclusão de um acordo comercial antes da eleição presidencial de 2020, e alertou que o efeito da guerra comercial sobre os EUA está sendo maior do que anteriormente previsto. Ainda segundo a o banco, o risco de recessão está aumentando à medida que as empresas diminuem os gastos e os investimentos devido à falta de perspectiva quanto ao crescimento da economia.

Por aqui deveremos ficar de olho no pacote de medidas que o governo deverá anunciar para ajustar o lado fiscal, o que incluiria uma proposta para a reforma tributáriaprivatizações e decisões na área administrativa. Quanto à reforma da Previdência, esta semana ela deve ser discutida na Comissão de Constituição e Justiça do Senado antes de ir a votação em plenário.

Na contra mão do sentimento de mercado, as bolsas asiáticas fecharam em alta (embora ainda preocupadas com a guerra comercial), mas as europeias operam em baixa (e futuros NY também).

Apesar da recente alta do dólar por aqui, o Boletim Focus divulgado há pouco manteve a mesma taxa para o real: R$ 3,75 ao final de 2019 e R$ 3,80 para o final de 2020.

As moedas pares do real perdem valor frente ao dólar neste momento

E a nossa moeda deve seguir esta tendência.

Desejamos uma ótima semana a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *